Un réel pour le XXI sciècle
ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE PSICANÁLISE
IX Congresso da AMP • 14-18 abril 2014 • Paris • Palais des Congrès • www.wapol.org

Manène sait
Teresinha Prado

Lacan evoca no Seminário 24 uma lembrança de sua irmã pequena, ao dizer: "Manène sait". E destaca o fato dela enunciar-se em 3ª pessoa, construção típica do inconsciente, tomando-se como portadora de saber (como fazia um jogador no jogo de adivinhação "Mora", que apostava – se lançava na Mora – como se soubesse o resultado por vir).

Trata-se aí de um saber alheio à relação S1-S2, pois não é um saber suposto a um sujeito. Ele se alicerça em um não-sabido, uma espécie de saber em fracasso, este é seu sucesso: um saber que não se sabe, mas opera. Lacan o chama de "saber fazer aí". Essa referência é tão marcante, que dá nome ao seminário 24.

Esse 'saber fazer aí' permite compreender a precisão da distinção entre inconsciente transferencial e inconsciente real extraída por Miller, e a partir disso considerar que 'há saber no real', levando em conta esse saber que caracteriza o inconsciente real, sem lei, série sem garantia.

Teresinha Prado
São Paulo, EBP