Un réel pour le XXI sciècle
ASSOCIATION MONDIALE DE PSYCHANALYSE
IXe Congrès de l'AMP • 14-18 avril 2014 • Paris • Palais des Congrès • www.wapol.org

Rolezinho:
porque amo em ti algo que é mais do que tu... eu te mutilo...
Margarida Assad

O fenômeno batizado pelos jovens nas redes sociais de rolezinho tem provocado as mais diversas opiniões. Ele se assemelha a outros tantos fenômenos de manifestação de rua. A particularidade deste é que ocorre em elegantes shoppings centers. A expressão dar um rolé já foi bastante usada por outras gerações; o que emerge de novo no rolé atual e que provoca um olhar da psicanálise é algo do efeito do racismo moderno.

Os rolezinhos atacam nos seus semelhantes, naqueles de sua própria raça, a utopia do gozo para todos. Eles nos trazem de volta a extimidade roubada pela generalização do gozo exibida pelos templos de consumo. É dar um rolé na praça da suposta alteridade, quebrando e atacando o objeto do qual se imagina pertencer ao Outro, tal como os objetos expostos nas vitrines.

Uma forma pública de expressar o ódio ao próprio gozo, manifestação do que se desintegra quando somos guiados pela nova utopia científica de que a felicidade é umdom coletivo.

Margarida Assad
João Pessoa, Paraíba, EBP