Un réel pour le XXI sciècle
ASSOCIATION MONDIALE DE PSYCHANALYSE
IXe Congrès de l'AMP • 14-18 avril 2014 • Paris • Palais des Congrès • www.wapol.org

"Cabra Marcado para Morrer"
Ruskaya Maia

A notícia me atingiu como um golpe: totalmente inesperada e fora do sentido. A morte de Eduardo Coutinho, tido pela crítica especializada como um dos maiores cineastas do Brasil e do mundo. A notícia completa? Coutinho foi morto a facadas dentro de seu apartamento por seu próprio filho.

Depoimentos e comentários se multiplicaram pela mídia. Perplexos, tentando entender o que tinha se passado, foram unânimes em apontar a sensibilidade especial do documentarista para fazer, de cada entrevista, um momento único. Seus documentários tornaram-se obras-primas, dada sua genialidade em escutar o outro e em extrair dele o que havia de mais singular. E era esse seu interesse e o ponto de subversão de sua arte: o singular de cada um.

Na manhã do dia 2 de fevereiro de 2014, o diretor de "Cabra Marcado para Morrer" é morto pelo filho esquizofrênico, que passa ao ato homicida "para libertar o pai". Real, brutal e irônico.

Ruskaya Maia
EBP, Goiânia, Goiás